Enquadramento

O ar comprimido ocupa um lugar muito importante na indústria portuguesa, sendo responsável por aproximadamente 20% do consumo de energia elétrica deste setor. A produção deste fluido é uma operação onerosa, em parte derivado do seu baixo rendimento, dado que apenas cerca de 10% da energia elétrica fornecida aos compressores é convertida em energia mecânica e com a restante energia a ser dissipada sob a forma de calor, mas também porque nem sempre o ar comprimido é encarado como uma forma de energia que deve ser utilizada racionalmente de modo a rentabilizar o processo produtivo.

Vários estudos demonstram que na maior parte das instalações da Indústria com ar comprimido é possível a adoção de diversas medidas para redução das perdas energéticas naqueles sistemas. É vulgar encontrarem-se instalações cuja exploração dos equipamentos de produção e tratamento de ar comprimido não é a mais eficiente, resultando em rendimentos de produção mais baixos do que seria razoável, tendo como consequência maiores consumos específicos de energia, ar comprimido de fraca qualidade e incremento do impacto ambiental. O potencial de economias de energia associado a essas medidas, que têm aplicação não só ao nível da produção de ar comprimido, mas podendo também ser extensivas às redes de distribuição de ar comprimido e aos dispositivos de utilização final daquela utilidade, é normalmente bastante significativo, entre 5% e 50% dos consumos de energia elétrica imputados a esses sistemas, podendo em média situar-se muito próximo dos 30%.

Está igualmente demonstrado que muitos dos problemas que ocorrem nas instalações de ar comprimido (ao nível da escolha dos equipamentos, da instalação destes e da sua operação e manutenção) e algumas más práticas de gestão de energia que se verificam nelas, prendem-se na maioria das vezes e na maior parte das empresas portuguesas com a necessidade de acesso a mais e melhor informação e formação, e é neste contexto que a ADENE – Agência para a Energia, com a colaboração da Sociedade Atlas Copco de Portugal, Lda., desenvolve uma ação de formação específica nesta vertente, no âmbito de um projeto (medida intangível) suportado pelo Plano de Promoção da Eficiência no Consumo de Energia Elétrica (PPEC) 2013-2014, promovido pela ERSE – Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos, que pretende dar um contributo importante para colmatar essas lacunas.

Com o referido projeto e com a ação formativa em concreto pretende-se disseminar boas práticas, energéticas e ambientais, em centrais de produção de ar comprimido e em redes de distribuição deste fluido, através da sensibilização para a eficiência na utilização dos sistemas de ar comprimido (SAC’s) do setor industrial dos técnicos que operam com tais sistemas e dos próprios decisores das empresas com responsabilidades nos investimentos nessa área, que poderão traduzir-se em economias de energia elétrica e em reduções de emissões de gases poluentes, e, consequentemente em importantes reduções de custos e em ganhos de competitividade nas empresas que adotarem tais práticas. O projeto, intitulado “Promoção de Eficiência Energética em Sistemas de Ar Comprimido na Indústria”, inclui, entre outras ações, a realização de 3 cursos de formação, sobre eficiência energética em SAC’s, dirigidos a técnicos de empresas industriais (com uma potência instalada em compressores superior a 100 kW), e, com a particularidade desta formação se dividir em duas componentes – uma em sala (teórica) e outra de forte cariz prático, a ter lugar nas empresas dos formandos, onde estes receberão treino na realização de diagnósticos energéticos em SAC’s e na avaliação dos respetivos potenciais de economia de energia / identificação de medidas de URE (Utilização Racional de Energia), com viabilidade técnico-económica, possíveis de implementar.

Objetivos

A otimização dos diversos componentes dos sistemas de ar comprimido (compressores, filtros, secadores, sistemas de controlo, sistemas de recuperação de calor, admissão e exaustão de ar, entre outros), não implica necessariamente a melhoria do sistema no seu todo.

Só uma abordagem sistemática, por via da análise pormenorizada dos vários componentes e da verificação de como estes interagem entre si, e com essa interdependência a determinar o rendimento energético global destes sistemas, permite essa otimização.

Isto só é possível com a realização de um diagnóstico energético específico, segundo uma metodologia própria e que exige conhecimentos específicos, que deverá ter como objetivos a identificação dos aspetos que podem ser melhorados, traduzidos em medidas que podem ser implementadas e que devem conduzir às tão desejadas economias de energia e às correspondentes reduções de custos totais de operação (custos de energia e de manutenção), além de poderem ter outros benefícios associados e não menos importantes, tais como a maximização de tempos de funcionamento desses sistemas, a definição dos volumes de ar comprimido ideais e a qualidade do ar comprimido necessária para determinadas aplicações.

Neste contexto, com a presente formação pretende-se sensibilizar os principais intervenientes na Indústria (operadores e decisores), sobretudo nas empresas onde a pneumática tenha um contributo significativo nos processos fabris, para a importância do ar comprimido e a necessidade de haver um acompanhamento constante e um controlo rigoroso desta utilidade, até porque é uma fonte energética muito cara, e que se for devidamente tratado e utilizado se torna rentável, contribuindo decisivamente para a Produção e a Qualidade Industrial, e porque está devidamente demonstrado que os SAC’s têm associados potenciais elevados de economias de energia se implementadas medidas de melhoria de eficiência energética nesses sistemas.

Pretende-se que a presente ação formativa difira de programas de formação “convencionais”, em virtude de se dar um maior enfoque a aspetos práticos com particular interesse para os formandos e para as empresas a que pertencem, nomeadamente no trabalho de auditoria e na sua habilitação individual para identificarem as oportunidades de economia de energia, sem recurso a consultores externos.

Esta formação específica contribuirá ainda para a mobilização futura dos técnicos participantes, tendo em vista a aplicação de metodologias de otimização da eficiência energética nas suas empresas e o desenvolvimento de uma cultura de incentivo à melhoria constante da eficiência energética, no que se relaciona com a conceção, operação e manutenção de SAC’s.

Métodos Pedagógicos

Os conteúdos são apresentados em formato PowerPoint, com exposição oral, os quais são também distribuídos aos formandos em suporte em papel, complementado por textos de apoio. 

Conteúdos programáticos

Componente Teórica

O conteúdo programático destes cursos incidirá sobre informação relevante para os formandos, nomeadamente no que respeita a potenciais de economia de energia nos SAC’s e sobre metodologias e outros meios de suporte para que aqueles sejam alcançados, abrangendo os seguintes tópicos:

  – Identificação de custos fixos e variáveis na operação de uma instalação de ar comprimido
  – Adequação do tipo de instalação de ar comprimido – centralizada ou descentralizada
  – Seleção dum compressor
  – Localização da central de compressores
  – Tratamento de ar adequado (filtragem, isenção de óleo e secagem do ar)
  – Rede de distribuição de ar comprimido – sua conceção e manutenção adequadas
  – Indicadores globais da eficiência de um sistema de ar comprimido
  – Custos do ciclo de vida de um sistema de ar comprimido
  – Onde procurar melhorias de eficiência energética e obter economias de energia?

     Na instalação ou renovação do sistema

  • Melhoria dos acionamentos (motores de alto rendimento)
  • Melhoria dos acionamentos (variadores eletrónicos de velocidade)
  • Melhoria do compressor (ao nível da tecnologia, do consumo específico de energia, etc.)
  • Utilização de sistemas de controlo sofisticados e precisos
  • Otimização da pressão do sistema
  • Recuperação de calor para outras utilizações
  • Melhoria do sistema de arrefecimento / tratamento de ar (filtragem e secagem)
  • Conceção global do sistema, incluindo sistemas de multi-pressão
  • Redução de perdas de carga nas redes de distribuição
  • Otimização de dispositivos de utilização final, consumidores de ar comprimido

    Na operação e manutenção do sistema

  • Redução de fugas de ar comprimido
  • Maior frequência na substituição de filtros
  • Medição e registo do desempenho do sistema

  – Como conduzir um diagnóstico energético num sistema de ar comprimido?

    Tipo de equipamentos portáteis a utilizar e metodologia a seguir. A metodologia do Programa Europeu Motor Challenge.

  – Avaliação económica dos investimentos necessários / Demonstração das vantagens económicas

Componente Prática

Neste Módulo será dada continuidade à Componente Teórica, no sentido de uma intervenção tipo formação-ação, a realizar no local de trabalho de cada formando e centrada numa metodologia considerada adequada aos propósitos da formação pretendida. Os formandos serão convidados a aplicarem os conhecimentos adquiridos nos SAC’s das suas empresas, pelo que devidamente acompanhados e supervisionados pelos formadores, deverão realizar um diagnóstico energético em tais sistemas durante um período de 2 dias (por empresa), identificando as áreas prioritárias de intervenção com maior potencial de economia de energia associado e quantificando as economias de energia correspondentes às medidas com viabilidade técnico económica que se podem implementar nessa área.

Componente Teórico-Prática

O tratamento em sala dos dados recolhidos no trabalho de campo dos diagnósticos energéticos decorrerá durante um período de 3 dias para o conjunto dos 15 formandos/empresas de cada curso, a ter lugar no mesmo local da Formação em Sala, no final do período previsto para a realização de todos os diagnósticos do curso. Durante esta fase cada formando, com base em toda a formação recebida, terá a incumbência de elaboração do respetivo relatório de diagnóstico energético, sob a orientação dos formadores. No final da sessão os formandos serão encorajados a discutir em conjunto as situações detetadas nas instalações individuais e as potenciais medidas de economia de energia com possibilidades de aplicação. 

Fase de acompanhamento pós formação

A fase de acompanhamento dos formandos, por parte da ADENE e da Sociedade Atlas Copco de Portugal terá a duração de 6 meses, de modo a identificar o grau de satisfação do formando quanto à formação recebida e resultados da mesma nas respetivas empresas, expressos pela concretização efetiva de medidas de racionalização energética na área dos sistemas de ar comprimido, e portanto para aferir da adequação da metodologia e dos conteúdos programáticos da formação dada, avaliação dos formadores e deteção de eventuais necessidades de correções em caso de replicação futura deste plano de formação.

Destinatários

Quadros Técnicos e Gestores de Energia (licenciados) de empresas do setor industrial, com sistemas de ar comprimido com um peso energético significativo, e que sejam responsáveis pela operação e/ou manutenção/gestão desses sistemas.

Estes Quadros deverão ter vínculo contratual com as empresas interessadas em participar no projeto (pela componente formativa), e estas, preferencialmente, deverão ser entidades que revelem capacidade de gestão e que tenham um plano estratégico na área energética minimamente desenvolvido, bem como uma estrutura interna que possibilite a concretização de medidas subsequentes à formação recebida.

Requisitos Mínimos:
Licenciatura

Certificado de Formação

Será atribuído um Certificado de Formação a cada um dos participantes.

Preço

000,00€ + IVA

Carga Horária

Laboral 32 horas

Tipo de Ensino

Presencial

Informações

formar@adene.pt

Será necessário PC portátil para a formação Teórico/Prática.

 

Close Menu

Este site usa cookies. Ao continuar a navegar, concorda com a utilização dos cookies do nosso site. Mais informações

The cookie settings on this website are set to "allow cookies" to give you the best browsing experience possible. If you continue to use this website without changing your cookie settings or you click "Accept" below then you are consenting to this.

Close